Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

2018 foi o 4º ano mais quente registrado na História

2018 foi o 4º ano mais quente registrado na História

De acordo com a NASA e a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), a temperatura média da Terra no ano que passou foi a mais elevada desde 1880.

Segundo cientistas do Instituto Goddard de Estudos Espaciais (GISS) da NASA, as temperaturas foram 0.83 graus mais quentes que as médias de 1951 a 1980. Adicionalmente, 2018 ficou atrás, na História, apenas de 2016, 2017 e 2015, que são, respectivamente, os três anos mais quentes registrados até então.

Isto significa que, coletivamente, a última meia década foi a mais quente da modernidade:

'2018 é mais uma vez um ano extremamente quente, além de uma tendência de aquecimento global de longo prazo', afirmou Gavin Schmidt, diretor do GISS.

O que as medições dizem?

Desde a década de 1880, a temperatura média da superfície terrestre subiu cerca de 2 graus Fahrenheit (1 grau Celsius), aquecimento impulsionado em parte pelo aumento das emissões para a atmosfera de dióxido de carbono e outros gases causadores do efeito estufa.

Para Schmidt, atividades humanas são as grandes alavancadoras do fator.

A NOAA ainda afirma que a temperatura média anual de 2018 para os 48 estados contíguos foi a 14ª mais quente já registrada, enquanto no Ártico, as tendências de aquecimento são ainda piores.

A perda massiva das mantas de gelo da Groenlândia e Antártida contribuiu para o aumento do nível do mar, o que, eventualmente, pode resultar em desastres e outros eventos climáticos extremos, segundo Schmidt. Além, é claro, de prejudicar a fauna e flora destes locais:

'Os impactos do aquecimento global de longo prazo já estão sendo sentidos - em inundações costeiras, ondas de calor, precipitação intensa e mudanças nos ecossistemas', sentencia o especialista.

As análises de temperatura da NASA incorporam medidas da temperatura da superfície de 6.300 estações mereológicas.

Essas medidas são analisadas usando um algoritmo que considera o espaçamento variado de estações de temperatura ao redro do globo e os efeitos das ilhas de calor urbanas, que têm o poder de distorcer as conclusões.

Tais cálculos produzem os devios da temperatura média global do período de referência de 1951 e 1980.

No entanto, como as localizações destas estações e práticas de medição mudam com o tempo, a interpretação de diferenças de temperaturas a cada ano tem algumas incertezas. Levando isto em cada, a NASA estima que a mudança média global de 2018 tenha sido, exatamente, 0.1 grau Farenheit, com um nível de certeza de 95%.

O estudo completo dos dados - e a metodologia utilizada para compará-los e realizar os cálculos - está disponível neste link.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit