Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts
5 Maneiras de Reduzir a Poluição Ambiental

Você já assistiu a essa animação?

Qualquer tipo de ação ou obra humana capaz de provocar danos ao meio ambiente é considerado poluição ambiental. A animação acima, apesar de chocante, descreve um longo percurso de imprudências em relação a exploração e degradação do meio ambiente.

Outra questão a ser discutida é a mecanização do homem, capaz de transformar as matérias-primas que dispõe de forma a torná-las úteis para si, seja modificando-as para ferramentas ou máquinas, ou para objeto de lazer ou arte. Assim, compreendemos a necessidade de nos desenvolvermos a qualquer custo.

Mas, felizmente e gradativamente, pelo fato de dependermos da disponibilidade dos recursos naturais do planeta, a conciliação entre desenvolvimento e sustentabilidade tem despertado a progressiva redução da poluição ambiental.

De maneira geral, obter uma melhor qualidade de vida é o que toda a sociedade almeja. Por isso, aplicar as medidas citadas a seguir, pode garantir que os anseios se concretizem. Veja só:

 

1) Educar a População

 Educação Ambiental

Pode parecer corriqueiro, mas antes de pensar em como resolver um problema, é necessário compreendê-lo. Quando estes problemas são ambientais, isso também é aplicado.

Assim, educar a sociedade de forma que essa conheça os principais poluentes ambientais, os riscos e as consequências que atitudes errôneas podem gerar e como agir diante aos desafios é primordial. Dessa forma, as ações governamentais devem ser respaldadas por atividades educativas junto à população.

 

2) Melhorar o Sistema de Transporte Público

 Transporte Público

O carro ainda é o meio mais utilizado pela população para se locomover. Certa preferência por esse automóvel, é justificada pela péssima qualidade de muitos transportes públicos. Linhas defasadas, condições precárias, falta de ar-condicionado e conforto são as principais queixas. Ou seja, melhorar esses transportes públicos diminuiria bastante os impactos e poluentes ambientais.

Outra alternativa é incentivar a população a utilizar bicicletas. Mas, para isso, é importante criar ciclovias, ciclo faixas e bicicletários, que possibilitem o deslocamento de um ponto a outro em segurança.

 

3) Incentivar a Coleta Seletiva de Lixo

 Coleta Seletiva

Ao retornarmos o material reciclável para a indústria, diminuímos a quantidade de matéria prima que retiramos do planeta. Dessa maneira, o primeiro ponto que podemos considerar é a economia de recursos naturais, energia e água.

Além disso, o aumento da vida útil dos aterros sanitários, ou centrais de tratamento de resíduos também é um fator relevante. E por último e não menos importante, é a geração de emprego e renda. Hoje, mais de 200 mil pessoas trabalham na coleta e catação destes materiais nas cidades e, também, nos lixões.

 

4) Dar Denefícios Fiscais às Empresas que não Poluem

 Benefícios Fiscais

Nem todos os empreendedores sabem, mas existem alguns incentivos fiscais para empresas que podem ser grandes auxiliadores para o crescimento de um negócio. Por essa razão, empresas que adotam processos produtivos e de descarte que não poluam de maneira agressiva o meio ambiente, devem ser valorizadas.

Dessa forma, adotar soluções sustentáveis em edificações novas ou já existentes pode resultar em ganhos como os incentivos fiscais oferecidos pelos poderes federal, estadual e municipal. A vantagem econômica chega a ser, inclusive, superior ao investimento necessário para a incorporação dessas práticas.

 

5) Fiscalizar para Prevenir

 Fiscalizar para previnir

Conforme a Lei de Crimes Ambientais, Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, o Ibama é competente para lavrar auto de infração ambiental e instaurar o processo administrativo de apuração da infração na esfera federal. Porém, com o intuito de garantir a ampla defesa do meio ambiente, a competência de fiscalização ambiental também é compartilhada com estados, municípios e distrito federal, integrantes do Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnama).

Assim, independente de qual ente da federação é responsável por supervisionar as ações contra o meio ambiente, é de extrema importância que o controle seja aplicado de forma preventiva e em último caso, de forma a tentar reverter ou amenizar os danos.

Atualmente fazemos parte de uma sociedade globalizada, na qual o consumo não atende somente às nossas necessidades, mas sim aos princípios das grandes corporações mundiais que praticam o constante incentivo ao consumo. Mas, apesar da demora e da demanda de esforços, podemos amenizar essa realidade.

A educação ambiental surge como proposta transformadora para atender essas novas necessidades, proporcionando situações nas quais possam ser desenvolvidas competências e habilidades caracterizadas por uma compreensão crítica do mundo.

Por fim, deixamos a reflexão: o que você tem feito para mudar o mundo?

Até a próxima!

Veja também:

Por que o município onde moro precisa de Gestão Ambiental?

Saneamento Básico: passo a passo.

6 Formas efetivas de reduzir o problema do lixo no Brasil

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit