Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Os Genocídios durante a Colonização da América resfriaram o clima

Os Genocídios durante a Colonização da América resfriaram o clima

A colonização das Américas ao fim do século XV matou centenas de milhares de pessoas e isto levou a incontestáveis mudanças climáticas.

Pelo menos é o que concluem cientistas da University College London, no Reino Unido. O time de estudos afirma que os desgastes causados pelos assentamentos europeus em regiões que, um dia, virariam Estados Unidos da América, Canadá, México, América do Sul, dentre outros, levou a uma ampla área de terras destinadas a agricultura, que foram destinadas a árvores e vegetação para o bem dos impérios colonizadores.

Isto atraiu dióxido de carbono (CO2) o suficiente da atmosfera para ajudar, indiretamente, no resfriamento do clima do planeta.

Isto resultou no que historiadores vêm chamado em livros de História de 'Mini-Era do Gelo', um tempo em que era inclusive comum o congelamento de algumas cidades no continente europeu, o que hoje já não ocorre mais.

Um exemplo são as feiras de gelo do rio Thames, em Londres, que eram possíveis 300 anos atrás devido ao congelamento constante da água nos períodos de inverno e, hoje, já é impossível:

'O massacre das pessoas indígenas das Américas levou a tanto abandono de terras previamente ocupadas, que isto resultou no acúmulo de carbono terrestre, equivalendo a um impacto tanto no CO2 atmosférico, como na temperatura global', afirma Alexander Koch, um dos colaboradores do estudo publicado pelo Quaternary Science Reviews.

E o que o estudo comprova?

O time revisou todos os dados de população que pôde encontrar acerca do número de pessoas que viviam nas Américas antes do primeiro contato com os europeus em 1492.

Em seguida, analisou a forma que os números mudaram nas décadas seguintes, conforme os continentes eram assaltados friamente por doenças não-nativas e introduzidas nas regiões (como varíola, sarampo etc), guerras, escravidão e colapsos sociais.

Estima-se que 60 milhões de pessoas vivendo nas Américas ao fim do século XV (cerca de 10% da população mundial) foram reduzidas a apenas cinco ou seis milhões, isto em menos de cem anos.

Os cientistas calcularam que o número de terras cultivadas pelos povos indígenas haviam caído em desuso e, logo, a terra foi repossada por floresta e savana. A área estimada é de 56 milhões de hectares, tamanho similar às atuais delimitações da França.

Esta escala de re-crescimento foi responsável por concentrar níveis altos de CO2 e retirá-los da atmosfera, cujo nível de carbono caiu eventualmente em 7-10ppm:

'Para colocar isto em contextos modernos - nós basicamente queimados combustíveis fósseis e produzimos cerca de 3ppm por ano. Logo, estamos falando de uma grande quantidade de carbono que foi sugada d aatmosfera', o professor e co-autor Mark Maslin diz.

De qualquer forma, não devemos glorificar o feito - afinal, isto foi possível através de incontáveis genocídios que atingiram inúmeras populações nativo-americanas.

A queda de CO2 na época dos massacres corrobora com os recordes de épocas frias na Antártica

Ed Hawkins, professor de ciência do clima na Universidade de Reading, não estava envolvido no estudo mas colaborou com sua opinião a respeito.

'Cientistas entendem que a chamada Mini-Era do Gelo foi causada por inúmeros fatores - uma queda em níveis de dióxido de carbono na atmosfera, uma série de erupções vulcânicas grandes, mudanças no uso de terra e um declínio temporarío em atividade solar', comentou Hawkins. 'Este novo estudo demonstra que a queda de CO2 é atribuída, em parte, à colonização das Américas e o colapso das populações indígenas, o que permitiu o retorno da vegetação natural.'

Hawkins conclui que ficou, então, evidente que a atividade humana influenciou o clima da Terra bem antes da Revolução Industrial começar.

Há lições a serem aprendidas com as políticas de mudança climática?

O co-autor Dr. Chris Brierley acredita que sim.

Ele disse que a queda da população e devolução de terras às Américas ilustra os desafios enfrentados pelos ativistas ambientais que buscam soluções para o aquecimento global e as mudanças climáticas:

'Há muita conversa sobre as 'emissões negativas' e o uso de plantas para retirar CO2 da atmosfera, em tentativas de mitigar as mudanças climáticas', ele contou à BBC News. 'O que vemos neste estudo são as escalas do que é preciso para que isto aconteça, porque os massacres resultaram na recuperação de uma área do tamanho da França, e isto reduziu apenas poucos ppm (...)'

Uma coisa é certa: é inegável o impacto das discussões do impacto humano em nosso planeta, seu clima, sua fauna e flora.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit