Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Alemanha inaugura primeiro Trem movido a Hidrogênio

Alemanha inaugura primeiro Trem movido a Hidrogênio

Chamado de Coradia iLint, um trem de passageiros movido a - pasmem - somente hidrogênio passou a operar, no fim do ano passado, na região da Baixa Saxônia, noroeste da Alemanha.

Com tecnologia desenvolvida pela empresa francesa Alston, que garante a emissão zero de poluentes na atmosfera, o trem não descarta CO2, um dos principais responsáveis pelo aquecimento global e danificação da camada de ozônio, e ainda é extremamente silencioso!

Tendo passado por extensos períodos de teste, o hydrail, como vem sido apelidado (junção das palavras hydrogen/hidrogênio e rail/trilhos), percorre um trecho de 100 km que antes era alimentado por um trem movido a diesel, e atinge velocidades de até 140 km/h.

No momento, a linha Buxtehude-Bremervörde-Bremerhaven-Cuxhaven é a principal beneficiada.

 

Como o trem funciona?

Os vagões são abastecidos em uma estação móvel de hidrogêneo e, com só um tanque cheio, eles têm poder para viajar até 1.000 km ininterruptamente!

Toda a energia produzida é então armazenada em baterias de íon-lítio, inclusive o excedente.

Henri Poupart-Lafarge, CEO da Alstom, garante que, até 2021, 14 outros vagões do Coradia iLint serão entregues, e que eles estão prontos até mesmo para uma 'produção em série'.

 

Assunto Internacional

O trem tem chamado a atenção de outros países da União Europeia, como Dinamarca e Holanda, e até mesmo da Noruega, que não faz parte do acordo, mas demonstrou interesse em fazer testes com o trem de hidrogêneo.

Atualmente, viagens por trem são um dos meios mais caros de deslocamento pela Europa, superando até mesmo tarifas de avião.

Apesar do investimento em trens elétricos, atualmente cerca de 4 mil vagões de trem que circulam pela Alemanha são movidos por diesel, um combustível fóssil que, quando queimado, libera CO2.

 

Energia Limpa

hydrail busca auxiliar o atingimento de metas do plano nacional alemão Energiewende (traduzido livremente como 'transição energética'), que prevê uma redução de 80 a 95% da emissão de gases do efeito estufa nos próximos anos.

O plano também almeja que todas as usinas nucleares sejam fechadas até 2022 e que, até 2050, 60% da energia produzida no país seja renovável.

A Alemanha não é o único país a preocupar-se com a sustentabilidade de seus meios de transporte. Desde 2015 o London Underground, metrô de Londres e principal forma de deslocamento dentro da capital do Reino Unido, recicla energia gerada pelos freios dos vagões; já nos Países-Baixos, a partir de 2018, todos os trens passaram a ser movidos somente por energia eólica.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit