Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Alerta: seu vício em Netflix é prejudicial ao Meio Ambiente

Alerta: seu vício em Netflix é prejudicial ao Meio Ambiente

Com plataformas de streaming de vídeos, filmes, séries e programas de TV, como o Netflix, cada vez mais populares, a demanda por mais entretenimento nunca foi maior.

Uma fonte de diversão para pessoas de várias idades, que podem escolher de gêneros até subgêneros, e que costumam passar horas só zapeando pelas listas em busca de algo para assistir, a gigante de mídias pode estar custando caro para o meio ambiente, e por um motivo simples.

Muita energia é consumida na manutenção de dados do serviço, e a necessidade de constante acréscimo ao catálogo intensifica o processo.

Não só a Netflix, mas outras alternativas semelhantes, como Amazon Prime, Hulu ou Fox TV dependem, em grande parte, da queima de fósseis derivados de carbono, que, segundo cientistas, contribuem diariamente para o agravamento das consequências do efeito estufa.

Em palavras simples, quanto mais tempo o consumidor passa online, mais energia é gasta e mais o ambiente é poluído:

'A forma que usamos a tecnologia digital está tornando a situação crítica', comenta Gary Cook, analista de TI do Greenpeace. 'O interessnate seria reduzirmos o tempo que passamos na internet, em especial nestas plataformas, para realmente fazermos uma diferença.'

Todo o setor de Tecnologia da Informação, que vai desde fornecer energia para o bom funcionamento de serviços de internet a recarga de baterias de smartphones - já produz tanto carbono quanto a indústria de aviação.

E, surpreendentemente, já está encaminhado para consumir perto de 20% de toda a eletricidade do mundo até 2030, segundo Anders Andrae, um dos grandes nomes por trás da Huawei Technologies.

Naturalmente, aquelas seis horas que você fica sentado à frente da televisão assistindo sua série predileta contribuem pesadamente para o desperdício de energia.

Assistir vídeos através da internet é o mesmo que ter dois ou três bulbos de energia incandescentes, dos mais antigos e menos sustentáveis, em casa, diz o professor Chris Presit e o Dr. Dan Schien, ambos do departamento de Ciências da Computação da Universidade de Bristol, na Inglaterra.

Além de ser usada só para manter estes dispostivos ligados, a energia é consumida aos montes por redes que distribuem conteúdo internet afora.

Afinal, mais demanda por informação significa mais energia gasta.

A maioria dos dados da rede global de computadores passa por servidores de locais de armazenamento específicos, que arquivam, processam e distribuem o tráfego virtual.

Adicionalmente, as informações que passam por eles são as responsáveis por grandes redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram e YouTube, além dos nossos famosos e adorados canais de streaming.

Juntas, as marcas são responsáveis por cerca de 0.3% da emissão de CO2. Estes são os países que mais contribuem com o processo e, curiosamente, os maiores responsáveis pelo fluxo de entretenimento em escala global:

Mas e aí?

O que você pode fazer para reduzir o impacto causado pelo entretenimento no meio ambiente?

Isto depende de uma série de fatores, mas, principalmente, da eficiência do serviço usado: TVs a cabo são muito menos nocivas que os serviços de streaming, enquanto celulares são ainda mais eficientes no que diz respeito ao gasto de energia. Mais, até mesmo, que a TV ou o computador!

Depende, também, do que você faz em seu tempo livre.

Um telefone conectado a uma rede wi-fi consome muito mais energia que outro, que depende de 3G ou 4G, para ter acesso à internet.

'Mesmo que você não esteja usando seu dispostivo, só por ter um wi-fi ativo em casa, você consome energia', diz Preist. 'Então, no âmbito do lar, muito do consumo de energia vêm de nossa necessidade de estarmos conectados 24 horas por dia.'

A boa notícia é que, já pensando em maneiras criativas de driblar o problema, mas ainda continuar satisfazendo clientes, algumas empresas já tem mudado suas políticas ambientais.

Um exemplo é o Facebook, cujo novo centro de dados digitais, instalado em Singapura, usará energia 100% renovável, algo que a Apple, gigante dos eletrônicos, inclusive já faz em todas as suas instalações.

Salvar o planeta Terra é responsabilidade de cada um de nós, e é mais fácil do que parece ser!

Não deixe de conferir, também, cinco formas baratas de remover o gás carbono da atmosfera.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit