Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Cinco casos de escassez de água que mudaram a História

Cinco casos de escassez de água que mudaram a História

Vez ou outra, casos de seca em regiões localizadas viram notícias no mundo todo, ainda mais agora, em meio às discussões acerca de mudanças climáticas.

Apesar de ser um país social e economicamente excluído do resto das civilizações, a própria Coréia do Norte já informou que vem sofrendo sua pior seca em 37 anos; adicionalmente, os últimos cinco meses foram os mais secos na história do Canal do Panamá, segundo autoridades.

O Instituto Goddard de Estudos Espaciais (Goddard Institute for Space Studies, ou GISS, do inglês) comparou precipitação histórica e dados de 1990 a 2005, descobrindo que atividades humanas - e gases do efeito estufa produzidos por nós - tiveram um impacto significativo nos episódios de seca que vemos globalmente.

 

Vocês pediram, nós trouxemos! A pré-Inscrição para o curso de Outorga do Uso de Recursos Hídricos já está aberta!

 

O estudo do GISS argumenta que o impacto humano sobre o meio ambiente ainda crescerá, o que trará consequências 'severas' para nossa espécie, incluindo secas mais frequentes e graves.

O cenário é sombrio, mas ainda pode ser contornado, caso governos unam-se para combater um de nossos grandes inimigos comuns, que é o aquecimento global. Enquanto isso, abaixo, você pode conferir cinco exemplos de secas de alto impacto que mudaram o mundo, e o rumo da humanidade, para sempre, e o que podemos aprender com elas para lidar com as crises que sofremos hoje:

 

1. A seca que literalmente espalhou a humanidade

Estudos de DNA sugerem que uma série de megasecas entre 135.000 e 75.000 anos atrás foram responsáveis pelas primeiras ondas de imigração de humanos do continente africano.

Cientistas atestam que as mudanças climáticas instáveis fizeram de partes da África um ambiente inóspito para vida humana. Elas limitaram acesso fundamental a recursos como água e comida, forçando nossos antepassados a se mudarem para longe de sua terra natal para garantir a sobrevivência.

Isto acontece ainda hoje, mas não por razões naturais, como já sabemos.

 

2. A seca que mudou o Egito antigo

Arqueologistas responsáveis por investigar as tumbas reais do Egito Antigo encontraram evidências de que uma seca atingiu o Oriente Médio e algumas partes da Europa 4.500 anos atrás. Alguns especialistas inclusive dizem que os faraós não caíram devido a levantes civis, e sim a secas.

A era faraônica acabou 3.000 anos antes do Egito se tornar uma província do Império Romano, em 30 BC, o que corrobora com as datas propostas pelos historiadores.

 

3. A seca que ajudou a destruir o Império Maya mais rápido

O Império Maya da Mesoamérica foi atingido por uma seca logo no momento mais vulnerável de sua história.

A crescente população maya coincidiu com a queda por metade de seus níveis de chuva 1.200 anos atrás, o que causou a falha de plantações e guerras com nações vizinhas, motivadas pela falta de acesso à água.

Pode-se interpretar então, que uma seca precipitou o fim desta importante civilização.

4. A seca da América do Norte que espalhou doenças mortais

O chamado Dust Bowl, ou 'tigela de poeira' em tradução livre, que atingiu os grandes planos do oeste estadunidense, e também o Canadá, em meados dos anos 1930 fez com que mais de dois milhões de pessoas deixassem suas terras.

Levando, consigo, uma série de doenças trazidas pela poeira, como sarampo, gripe e infecções pulmonares causadas por fungos, que foram chamadas, na época, de 'Valley Fever', ou Febre do Vale.

Para aquelas pessoas, que já estavam doentes por malnutrição, tais doenças se provaram fatais.

Baixe agora de forma GRATUITA o Guia Completo da Outorga do uso de Água de Minas Gerais

 

5. A seca 'mais desastrosa' da China

Apesar da China ter sofrido incontáveis períodos de seca durante sua história milenar, talvez o pior de que se tenha memória tenha ocorrido durante 1928 e 1930.

Alguns especialistas inclusivem afirmam que este foi o evento 'mais desastroso' de todo o século XX no país, uma vez que levou a altos níveis de fome, já que não haviam plantações suficiente para fornecer comida a uma população cada vez mais densa e carente. Ao todo, entre 3 e 10 milhões de pessoas morreram.

Mais recentemente, no meio de 2017, autoridades chinesas disseram que uma grande região nortenha vivenciou a pior seca de que se têm recordes, citando as mudanças climáticas como causas diretas por padrões de seca em diversas partes do país.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit