Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Conheça os principais produtos gerados na Aerofotogrametria.

Conheça os principais produtos gerados na Aerofotogrametria.

Já falamos por aqui sobre a utilização dos drones, principalmente na área ambiental, e de como essa ferramenta tem se tornado essencial na realização de tarefas. E para se aprofundar um pouco mais sobre o assunto, vamos destacar uma das possibilidades de uso do veículo aéreo não tripulado, a aerofotogrametria.

A aerofotogrametria ou fotogrametria aérea é o processo de obtenção de dados topográficos por meio da captura de fotos aéreas produzidas por helicópteros, balões, aviões ou drones, e que são utilizadas, principalmente, para fins de mapeamento. Com a aerofotogrametria é possível determinar a forma, as dimensões e a posição de objetos contidos em uma fotografia, obtendo informações que permitem a produção de mapas, cartas topográficas, criação de modelos digitais elevados, dentre outros.

No mapeamento aéreo, a fotogrametria aérea é aplicada a diversos setores, como a agricultura de precisão, mapeamento urbano, monitoramento de gado, engenharia, mineração e infraestrutura. Mas, além dessas áreas, o processo aerofotogramétrico também é um grande aliado da cartografia, arqueologia, arquitetura, estudos ambientais e outros projetos.

E nesta matéria, separamos alguns dos vários produtos que podem ser gerados com a aerofotogrametria e que podem ser exportados para outras plataformas SIG/CAD – softawares de análises de imagens e desenhos - de acordo com o objetivo final do projeto em que o profissional está envolvido. Os principais destaques são:

1.  Nuvem de Pontos

A nuvem de pontos é uma coleção de dados onde foi atribuído um sistema de coordenadas 3D. Na fotogrametria georreferenciada com drone, ela permite medições de coordenadas e cotas de um terreno, criação de modelos digitais de elevação, imagens ortorretificadas, malhas tridimensionais e mais.

2. Modelo Digital de Elevação (MDE)

É um modelo digital que representa as altitudes da superfície topográfica agregada aos elementos geográficos existentes sobre ela, como cobertura vegetal, cursos d’água, montanhas e vales.

3. Modelo Tridimensional

Talvez o exemplo mais comum, a modelação tridimensional (ou 3D) é o processo de desenvolvimento de uma representação matemática de qualquer superfície tridimensional de um objeto (seja inanimado ou vivo), através de um software especializado.

4. Curva de nível

Designa uma linha imaginária que agrupa dois pontos que têm a mesma altitude. Por meio dela, são criados mapas topográficos.

5. Ortofotomosaico

É um tipo de mosaico composto por fotografias aéreas mais preciso que outros tipos de mosaico. O processo basicamente transforma as imagens capturadas em um mosaico maior com características de mapa (distância real, ângulo e áreas), mas que, ao mesmo tempo, é interpretável como fotografia. O processo de conversão é chamado differential rectification.

6. Relatórios de processamento

Produto em que localidades por onde a câmera passou, e as imagens que esta capturou se mesclam, informando o número de imagens presente, altitude do voo, resolução a partir do solo, área de cobertura e mais.

Por que eu, profissional do meio ambiente, preciso saber manusear um drone?

A aerofotogrametria é apenas uma das diversas funções dos drones e conhecer essa geotecnologia, hoje, é fundamental.

Um profissional de meio ambiente que não sabe manusear um drone ou até mesmo manipular as imagens obtidas por ele e traduzidas em dados, é um profissional desatualizado.

Portanto, é de extrema importância conhecer e dominar as tecnologias que estão se destacando atualmente. Estude mais sobre o assunto, leia matérias, faça cursos e não perca as melhores oportunidades que o mercado tem a oferecer!

Acesse os e-books de Mapeamento Aéreo com Drones do IBRACAM!

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit