Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts
Desastres Ambientais no Brasil
Qualquer ação humana sobre o meio ambiente causa algum impacto direto ou indireto onde atua. Ao mesmo tempo que o homem age no meio ambiente em busca do desenvolvimento e criando estratégias para a vida humana, algumas vezes essas ações causam impactos negativos.

Falhas humanas, estruturas precárias, erros técnicos e falta de manutenção são os grandes responsáveis pelos desastres ambientais que já ocorreram no país. Esses erros poderiam ser evitados com maior controle e maior rigidez por parte dos responsáveis.

Conheça os maiores desastres ambientais no Brasil, suas causas e consequências

 

Incêndio na Vila Socó

Incêndio na Vila Socó

Em fevereiro de 1984, uma falha nos dutos subterrâneos da Petrobrás em Cubatão, em São Paulo ocasionou o derramamento de mais de 700 litros de gasolina na Vila Socó e seus arredores. O vazamento causou um incêndio de grandes proporções que afetou a Vila e suas imediações, levando a morte de 93 pessoas e destruição de pelo menos 500 casas.

Césio 137 

Césio 137

Em setembro de 1987 em Goiânia, ocorreu um dos maiores casos de exposição à radiação no país e no mundo. Na ocasião, dois catadores de lixo encontraram um pó branco que reluzia uma luz azul nos escombros de um antigo hospital. O pó era a substância Césio 137, extremamente radioativa. Sem saber da situação, os catadores levaram o material para outras localidades, causando a contaminação de outras pessoas, do solo e do ar. 4 pessoas morreram, mas dezenas de outras apresentaram doenças. A justiça culpou os sócios do hospital e um funcionário pela irresponsabilidade de deixar um material tão perigoso exposto e abandonado.

Vazamento de Óleo da Petrobrás

Vazamento de Óleo da Petrobrás

Em janeiro e julho de 2000, o Brasil sofreu com dois vazamentos de óleo em localidades distintas. Em janeiro, um acidente com um navio de petróleo causou a vazamento de 1.3 milhão de litros de óleo na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. O caso gerou a morte da fauna local, além da contaminação da água e do solo da região. Em julho, 4 milhões de litros de óleo foram derramados em Araucária, PR. Nos dois casos o Ibama multou a Petrobrás, totalizando mais de 230 milhões de reais devido aos grandes danos causados.

Rompimento da Barragem de Miraí

Rompimento da Barragem de Miraí

Em janeiro de 2007, a barragem de mineração na cidade foi o local do vazamento de 2.280.000 metros cúbicos de água e bauxita. Uma das placas do sistema de segurança que controla o nível de água da barragem quebrou, transbordando os resíduos líquidos. O incidente desalojou quase um terço dos moradores, correspondente a mais de 4 mil pessoas. O nível da água do rio em Muriaé também aumentou em mais de 4 metros, causando o alagamento de mais de 1200 casas.

Incêndio na Ultracargo

Incêndio na Ultracargo

Em 2015, teve início um incêndio na empresa Ultracargo em Santos. Considerado o segundo maior incêndio do mundo, as chamas atingiram tanques de produtos químicos, causando grandes explosões que duraram 9 dias até que o fogo fosse controlado. O incêndio levou a morte de milhões de peixes e afetou diretamente a vida local da comunidade. A Ultracargo foi multada em 22,5 milhões de reais pelo lançamento de efluentes na água, pela contaminação do ar atmosférico e pelo risco causado a toda a comunidade ao redor do incêndio.

Rompimento da Barragem em Mariana

Rompimento da Barragem de Mariana

O caso mais recente, ocorrido no final de 2015, foi o rompimento da barragem da Samarco em Mariana, MG. O incidente, considerado o maior desastre ambiental da história do Brasil, causou o derramamento de 62 milhões de metros cúbicos de lama, composta por óxido de ferro e água, que devastou o distrito de Bento Rodrigues, com 19 mortes e milhares de desalojamentos. A liberação da lama causou uma pavimentação da área onde correu, tornando-a infértil e imprópria para construção. A lama também chegou a diversos rios, causando a morte de milhares de peixes e da vegetação local, o soterramento de nascentes e alteração no pH e na química do solo. Além disso, a água tornou-se imprópria para consumo. A Samarco já foi multada em mais de 250 milhões de reais pelo Ibama.

Todos esses desastres ambientais possuem um ponto em comum: falhas humanas. Todas elas saíram do controle por apresentar erros que poderiam ser evitados com maior rigidez e controle de todos os processos e ações envolvidas. Por isso, é necessário dar tanta importância as leis ambientais que regem empresas e empreendimentos com impacto poluidor.

Esses são exemplos de desastres que ocorreram e ficaram conhecidos nacionalmente, mas não é difícil encontrar pequenos exemplos de acontecimentos de menor escala que afetam os municípios. Assoreamento de lagos e rios, lançamento de resíduos em águas e desmatamento de matas ciliares são apenas exemplos que ocorrem constantemente devido ao não cumprimento da lei e da falta de fiscalização dos órgãos ambientais. 

Os responsáveis pelos empreendimentos devem estar cientes do que sua má gestão pode causar e tentar evitar ao máximo que pequenas questões passem despercebidas, pois pequenos erros podem ter proporções incalculáveis caso resultem em algum desastre. Seguir a risca a legislação ambiental por meio das licenças ambientais necessárias, da contratação de profissionais qualificados e instalação de estruturas seguras são ações fundamentais que não devem ser infringidas.

 

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit