Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Diferenças entre Geoprocessamento e Georreferenciamento

Diferenças entre Geoprocessamento e Georreferenciamento

Fazer uma administração moderna do território é necessário para se obter um planejamento e um monitoramento do espaço utilizado para atividades. Pensando nisso, muitos softwares e geotecnologias oferecem funções que resultam em representações digitais cada vez mais fiéis ao espaço geográfico real. Dentre essas ferramentas que são aptas para atividades ambientais e rurais  estão o Geoprocessamento e o Georreferenciamento. Mas você sabe qual a diferença entres eles e como podem contribuir no processo de monitoramento de área?

O que é Geoprocessamento? 

Antes de saber o que é geoprocessamento, é necessário conhecer melhor sobre o Sistema de Informação Geograifca (SIG) ou Geographic Information System (GIS. Esse é um sistema que permite  produzir, armazenar, processar e analisar inúmeras informações espaciais com representação do espaço e as características presentes nele. Desse modo, esse processo é realizado com arquivos e fotos produzidas por satélites que permitem o desenvolvimento de mapas, representações cartográficas, ánalises e outros recursos específicos. O SIG resulta da combinação entre três tipos de tecnologias distintas: O Sensoriamento remoto, o GPS e o Geoprocessamento. 

O geoprocessamento, uma das tecnologias diretamente ligadas ao SIG, é uma potente ferramenta que auxilia em diversas atividades, principalmente em trabalhos  de Cartográfia. Isso é devido a sua função, que consiste  em ultilizar técnicas matemáticas e computacionais, tais como os Sistemas de Informação Geográfica (GIS), o Sensoriamento Remoto (SR) e o Sistema de Posicionamento Global (GPS), para o traramento de informações e dados geográficas que podem resultar na produção de mapas, cartogramas, gráficos e sistematizações em geral. 

Quando usar o Geoprocessamento? 

As  aplicações do geoprocessamento são muitas e estão ligadas a diversas atividades. Além da Cartografia,ele é usado em Análise de Recursos Naturais, das Comunicações, de Transportes, dos Planejamentos Urbanos, Rurais e de Energia.

Outros exemplos mais específicos desses usos são em áreas, como gestão das explorações agrícolas, comércio, saúde pública, gestão de instalações, execução de projetos de análises espaciais de pequeno e médio porte, criação de relatório de impacto ambiental, em mapeamentos do uso e ocupação do solo, podem ser usadas também na demarcação de construção de estradas, pontes e outras edificações. No meio ambiente é possível sua aplicação em variáveis de temperatura, radiação solar e precipitação. 

Como o Geoprocessamento Melhora as Atividades Abertas

O que é Georreferenciamento? 

Muito utilizado no meio rural, o georreferenciamento é um termo que ganhou destaque quando começou a ser adotado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) como instrumento necessário para o proprietários de imóveis rurais. Essa ferramenta possibilita o levantamento de dados geográficos, garente o registro, controle e a identifcações das propriedades rurais. 

Todo o processo de georreferenciamento é realizado a partir do levantamento de informações  topográficas, por meio de dados físicos do local, análises dos recursos naturais, e a utilização de de fotogrametria, que permite efeturar medições rigorosas a partir de fotografias. O resultado obtido são descrições detalhadas sobre o imóvel, tais como: limites de área, dimensões, confrontações e cooordenadas dos vertices definidores. 

Por que o Georreferenciamento é importante?

De acordo com a lei 5.868 de 1972, todo imóvel rural deve ser georreferenciado em um período de 10 anos. Esse é um processo importante tanto para o proprietário quanto para o INCRA, pois, além de desponibilizar informações importantes sobre a área de imóvel, ele tamabém garante um padão de qualidade, oportunidades de valorização da propriedade, evita possíveis conflitos por terras,  possibilita que o imóvel seja reconhecido de forma legal e que o proprietario possa possuir o Cadastro Nacional de Imóveis Rurais, que exige o georreferenciamento.

Recentemente, em 2019, foi sancionada a lei 13.838/19 que simplifica o georreferenciamento de propriedades rurais.

Qual a diferença entre Geoprocessamento e Georreferenciamento? 

O geoprocessamento e o georreferenciamento são processos que ultilizam informações e dados geográficos, no entanto, eles não apresentam a mesma finalidade. O geoprocessamanto consiste em recolher infotrmações e dados espaciais para disponibilização de análises de território e atividades. Já o georreferenciamento está relacionado exclusivamente a imóveis rurais. 

Os dois processos, georreferenciamento e geoprocessamento,  podem se misturar caso seja necessário utilizar o resultado de um geoprocessamento para configurar ou informar algum fato sobre uma área a ser georreferenciada.  

Veja mais: Como baixar o QGIS de forma legal e gratuita em Windows, Mac e Linux

Por que eu , profissional do meio ambiente, deveria fazer um curso de Geoprocessamento? 

Investir em conhecimento é uma meneira de tornar o profissional ainda mais capacitado na sua área de atuação. Para profissionais do meio ambiente, algumas áreas como Mapeamento Temático, Diagnóstico Ambiental, Avaliação de Impacto Ambiental, Ordenamento Territorial e os Prognósticos Ambientais envolvem o trabalho de geoprocessamento. Por isso, fazer um curso nesse campo pode contribuir e trazer muitas vantagens. Quem opta por fazer um curso de geoprocessamento está pronto para utilizar sistemas de sensoriamento remoto na produção e interpretação das imagens para coleta de dados sobre uma região, imóveis urbanos e rurais ou para confecção de mapas.

Ficou interessado(a)? Gostaria de se especializaer nessa área? 

Inscreva -se no nosso curso de Geoprocessamento: Aplicações em Estudos e Projetos Ambientais

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit