Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

A importância dos drones na agricultura de precisão do Brasil

A importância dos drones na agricultura de precisão do Brasil

Um dos grandes desafios da humanidade sempre foi, e ainda é até hoje a distribuição extremamente desigual de riquezas.

Estima-se que, até 2100, o mundo atingirá uma população de 11,2 bilhões (dados da ONU). E que, muito além de saúde e educação de qualidade, todos devem ter o direito de acessar o desenvolvimento sustentável da agricultura que, por sua vez, também é importante para combater uma eventual escassez de alimentos e, eventualmente, a fome. Como diz Pierre Delbet, membro da Academia Francesa de Medicina, 'nenhuma atividade humana, nem mesmo a medicina, tem tanta importância para a sáude quanto a agricultura.'

Ok. Mas o que tem drones - e mais, o que tem o Brasil - a ver com isto? A gente já explica!

 

O Brasil como protagonista no setor

Durante as últimas duas décadas, apesar de ter investido em industrialização e políticas de incentivo a multinacionais, o Brasil tem, principalmente, focado no agronegócio. Ele é, afinal, um país de proporções continentais com grande potencial produtor e exportador, fazendo com que o agronegócio e a agricultura se tornem os carro-chefe da economia brasileira.

Segundo dados do CEPEA - Centor de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Esafq), o setor movimentou 1,4 trilhão de reais somente em 2017 e é, atualmente, responsável por 23,5% do PIB: ou seja, além de se mostrar um mercado extremamente importante frente ao crescimento populacional global, devido à sua capacidade de produzir alimentos suficientes para todos, ele é rentável.

No entanto, para que haja desenvolvimento sustentável - e a economia se fortaleça sem prejudicar a saúde ambiental - é preciso que o setor tenha acesso às mais recentes tecnologias disponíveis.

 

O que é, então, agricultura de precisão?

Segundo Fabrício Vieira Juntolli, coordenador-geral da Tecnologia, Inovação e Recursos Genéticos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) define, a agricultura de precisão (AP) 'compõe um sistema de gerenciamento agrícola baseado na variabilidade espacial e temporal da unidade produtiva e permite uma exploração mais racional dos sistemas produtivos, levando à otimização do uso dos insumos, ao aumento da lucratividade e da sustentabilidade e à minimização dos impactos ambientais.'

A agricultura de precisão (AP) faz uso de tecnologias do mapeamento aéreo, como análise e compilação de dados a respeito de determinado recurso natural ou local, por exemplo, para delimitar, geograficamente, áreas a serem exploradas e desenvolvidas, da melhor forma possível e em tempo mais hábil. Segundo a definição exata da Embrapa, AP 'trata-se de um sistema de manejo integrado de informações e tecnologias, fundamentado nos conceitos de que as variabilidades de espaço e tempo influenciam nos rendimentos dos cultivos.'

E é este conceito que tem revolucionado a produção agrícola nos últimos anos, em especial no Brasil!

E, como sabemos, o drone é uma ferramenta que também vem se popularizando desde a década de 70, e tem hoje atuação em diversas áreas relevantes ao profissional de meio ambiente, tais como geoprocessamento e mapeamento aéreo.

 

Qual o papel dos drones nisto?

O sensoriamento remoto proporcionado por estes objetos de voo automático nos permite monitorar espécies em extinção, áreas degradas, APPs (Áreas de Proteção Permanente), reservas legais e muito mais! E, com sua popularização em anos recentes, eles também tem feito parte do cotidiano de produtores rurais e ocupado cada vez mais espaço na agricultura de precisão.

Desde 2000, surgiram inúmeras inovações que beneficiaram e expandiram a AP, tais como GPS (Global Position System - Sistema de Posicionamento Global), softwares como o QGIS e ArcGIS, sobre os quais discutimos em nosso curso online de Geoprocessamento: Aplicações em Estudos e Projetos Ambientais, dentre outos.

Tais tecnologias vieram para fomentar o uso racional de insumos e reduzir as perdas na agricultura, definindo estratégias de cultivo e desenvolvimento agropecuário mais eficientes, visando o constante crescimento populacional no Brasil e no mundo. Inclusive, segundo pesquisa do Kleffmann Group (2013), realizada com 992 produtores de milho, constatou-se que a maioria tem interesse em investir nestas novas tecnologias - cerca de 58% dos entrevistados!

Dentre as tecnologias preferidas, observou-se monitoramento com piloto automático (drones), distribuidores de fertilizantes, corretivos e defensivos agrícolas a taxa variável, colhedora com sensor de colheita, barra de luz, sensores de solo, dentre outros (leia a pesquisa na íntegra, em inglês, aqui).

Em suma, são 5 os principais benefícios dos drones na agricultura de precisão:

  • Eles permitem um conhecimento melhor do relevo de determinada área e suas características;
  • Produzem estimativas, a partir da coleta e compilação de dados, acerca da produtividade da área;
  • Ajudam na economia de insumos;
  • São ótimos aliados durante o acompanhamento da evolução do plantio;
  • Evitam perdas excessivas na agricultura.

Hoje, também no Brasil, mais e mais empresas e profissionais ambientais autônomos inseridos no contexto do mapeamento aéreo com drones tem investido em projetos relacionados ao setor.

Até o fim deste ano, estima-se que o mercado de drones atingirá o valor de aproximadamente 711.20 bilhões de reais (dados da PricewaterhouseCoopers - PWC). Só no Brasil, existem mais de 46.000 drones registrados em todo o território nacional, e cerca de somente 17.352 destes são de uso profissional. Ou seja: há um mercado amplo com incontáveis oportunidades a ser desbravado por nós!

 

Um profissional de meio ambiente que não entende de mapeamento aéreo com drones está desatualizado!

Além de indispensáveis no campo para o produtor que visa uma otimização na produção e um melhor manejo de suas lavouras, estes pequenos robôs se tornarão, muito em breve, peças fundamentais no nosso cotidiano como profissionais de meio ambiente.

Desta forma, é imprescindível que esses profissionais busquem capacitação e se profissionalizem na área, visando tirar o máximo proveito dessa oportunidade que o mercado tem proporcionado aos que estão preparados. Para ler mais sobre drones e mapeamento no blog do IBRACAM, basta acessar este link.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit