Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Principais tópicos da Legislação Estadual da Outorga de Água em MG

Principais tópicos da Legislação Estadual da Outorga de Água em MG

Nos posts anteriores, o Instituto G4 organizou os principais órgãos mineiros que regem a outorga de água no estado de Minas Gerais. Agora, você verá os principais tópicos da legislação da outorga no estado.

A Outorga de Água é um instrumento do poder público, federal ou estadual que regulamenta o uso de água garantindo seu controle. Ela deve ser solicitada por qualquer pessoa que vá usar algum recurso hídrico que altere o regime ou o corpo d’água.

Os processos que regem a outorga são passos bem definidos e sistemáticos, que vão desde o preenchimento dos formulários, até a composição do relatório técnico, com cálculos de vazões e dimensionamentos. Por serem processos muito técnicos, existem várias leis e decretos nos quais se sustentam. Organizamos os principais tópicos que envolvem os fatores mais importantes a serem realizados no processo de outorga e onde você pode encontra-los para facilitar seu entendimento.

Lei Estadual 13.199 de 29/01/1999


Fala sobre a Política Estadual dos Recursos Hídricos, visando assegurar o controle da água de qualidade para atuais e futuros usuários. Por meio dela, tem-se os regulamentos que tratam sobre a outorga, cobranças pelo uso dos recursos hídricos, bem como os planos estaduais que envolvem esse processo.

Mais especificadamente, ela define quais empreendimentos estão sujeitos à outorga pelo poder público, por fazer algum uso que altere o regime, a quantidade ou a qualidade da água. Mas, também define quando o uso de alguma parcela de água não precisa da outorga. Também estabelece quando a outorga pode ser suspensa, parcial ou totalmente, em definitivo ou por prazo determinado.

Deliberação Normativa CERH – MG nº 07, de 04/11/2002


Classifica os empreendimentos sujeitos a outorga de acordo com seu potencial poluidor, que podem ser de pequeno, médio ou grande porte e variam basicamente de acordo com os impactos e mudanças que podem causar e onde serão instalados.

Deliberação Normativa CERH – MG nº 09, de 16/06/2004


Determina quais são os usos considerados insignificantes dentro das bacias hidrográficas do estado e quais situações não se encaixam nesse perfil.

Portaria IGAM nº 49, de 01/07/2010


Define os procedimentos para regularização de uso dos recursos hídricos, classificando-os de acordo com duas modalidades: concessão e autorização. Isso varia basicamente de acordo com quem desenvolverá a regularização. Além disso, determina quais procedimentos devem ser feitos de acordo com o modo de uso e a finalidade do empreendimento, tal como os prazos de validade.

Resolução Conjunta SEMAD-IGAM nº 1.548, de 29/03/2012


Para fazer o cálculo da disponibilidade hídrica superficial das bacias hidrográficas, existem diversos fatores envolvidos. Um deles é a vazão de referência, na qual se determina seu valor mínimo e máximo de acordo com o empreendimento e uso.

Resolução Conjunta SEMAD-IGAM nº 2.302, de 05/10/2015


A SEMAD e o IGAM são os principais responsáveis pelos processos de outorga em Minas Gerais. Para exercer esse controle, a resolução estabelece critérios para a implantação do sistema de medição para que haja o monitoramento dos usos dos recursos hídricos. Dessa forma, ela define quais são as chamadas intervenções consuntivas, o que é o barramento com regularização de vazão e quais são os sistemas de medição adequados para águas superficiais e para águas subterrâneas. Além disso, estabelece principalmente como e quando deve haver o monitoramento e quais os dados devem ser apresentados para que ele ocorra, juntamente com a definição dos prazos em que devem ocorrer.

Agora que você já sabe os principais órgãos e o que mais interessa na legislação para a realização da outorga, fica mais fácil entender o processo e como ele ocorre. Vale ressaltar que a legislação da outorga é muito abrangente e o número de leis, decretos e resoluções que envolvem o processo são muitos, então é indispensável estar em constante atualização e sempre buscando novos conhecimentos para realizar trabalhos com cada vez mais qualidade.

Leia também:
Porque a Outorga de Água é fundamental para o Consultor Ambiental
Conheça as principais leis ambientais do Brasil
Você conhece a Outorga do Uso de Água?

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit