Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Quais os Problemas em Captar Água do Lençol Freático?

Quais os Problemas em Captar Água do Lençol Freático?

Que a água é um recurso natural indispensável para a manutenção de todo o tipo de vida existente em nosso planeta, já sabemos. Mas, o fato da água armazenada nos lençóis subterrâneos representar aproximadamente 20% de toda água doce do planeta, talvez seja um fato pouco conhecido por todos. 

Outra coisa que possivelmente não seja de conhecimento público, é que essa mesma água, resultante da infiltração de fluidos proveniente da precipitação, assim como da alimentação direta dos rios e lagos, constituem um recurso altamente valioso: representa a grande maioria das reservas de água doce disponíveis e exploráveis na Terra.   

No entanto, a água doce não está uniformemente distribuída pela superfície do planeta. E por isso, existem regiões de extrema escassez e outras com relativa abundância. O Brasil, é um dos países com maior disponibilidade hídrica da Terra (13,8%), existem regiões extremamente ricas, como a Amazônica, mas, outras com baixa disponibilidade., como por exemplo o Pernambuco.

Veja na tabela a seguir: 


Fonte: Ministério do Meio Ambiente

 

A Captação

Dessa forma, concluímos que esses armazenamentos subterrâneos, localizados em conjuntos de rochas porosas e permeáveis que tanto têm a capacidade de reter água como a de ceder, podem resultar em grandes possibilidades de captação de água. Assim, podemos obter razoáveis volumes da mesma, com qualidade apropriada para o consumo.  

Daí, vem o termo captação. O acesso dos seres humanos às águas subterrâneas normalmente se dá por meio da perfuração de poços. Estes podem ser escavados manualmente, como as cacimbas, poços amazonas e cisternas ou perfurados com equipamentos, o que é o caso dos poços tubulares profundos.

 

O Problema

Em função da crescente demanda pelas as água subterrâneas, elas estão sob constante disputa. A extração de água em volume maior do que o reposto pela natureza, pode provocar a redução da quantidade de água que abastece os rios, desaparecimento de nascentes, o esgotamento dos reservatórios tanto superficiais quanto subterrâneos, entre tantos outros impactos negativos.  

Somam-se a esses, os problemas relacionados com a contaminação das águas pela ação antrópica.

As principais fontes de poluição são:

  • Fossas sépticas;
  • Esgotos domésticos e industriais; 
  • Vazamentos em postos de gasolina, lixões e indústrias; 
  • Agrotóxicos utilizados na agricultura; 
  • Entre muitos outros.  

Esse fato, que ameaça também os lençóis freáticos, implica diretamente a quem os utiliza para algum meio. E, com a proliferação de poços irregulares e a exploração indevida das águas subterrâneas, esses riscos aumentam muito.

Devido à importância estratégica para as gerações presentes e futuras, nossas reservas de água subterrâneas precisam de cuidados especiais, para sua preservação e utilização de forma sustentável. No entanto, a poluição provocada pelas atividades humanas, o aumento da população mundial, o consumo excessivo e o alto grau de desperdício são fatores que colocam em risco a disponibilidade de água doce.

 

Como Conservar ou Proteger essas Águas?

Com intuito de maximizar o bem estar econômico e social, deveriam existir abordagens integradas, que incluam a utilização e gestão coordenada da água, solo e recursos relacionados, visando a sustentabilidade dos ecossistemas vitais. Assim, algumas alternativas são:

  • Ensino e prática da educação ambiental voltada para a proteção das águas subterrâneas;   Monitorar a qualidade e quantidade das águas subterrâneas; 
  • Estabelecer legislação de proteção das águas subterrâneas e inserir na gestão integrada dos recursos hídricos
  • Fiscalizar e acompanhar os lançamentos de efluentes e da disposição de resíduos; 
  • Perfurar poços somente em locais com boas condições sanitárias, longe de fossas, lixões, criadouros de animais e áreas de cultivo; 
  • Reconhecer a água subterrânea como um recurso estratégico, incentivando sistemas de abastecimento mistos;   
  • Coletar e armazenar a água de chuva das calhas dos telhados; essa água pode ser utilizada para os mais diversos fins (irrigação de jardins, limpeza de pisos, etc.);   
  • Perfurar poços tubulares profundos somente em casos de extrema necessidade e de acordo com a legislação; 
  • Aproveitar as águas já utilizadas, as destinando para fins menos nobres (por exemplo, a água da máquina de lavar para limpeza de pisos, descarga sanitária, entre outros);

Esses, são algumas das muitas possibilidade de evitar a escassez hídrica e utilizar os recursos disponíveis da melhor forma possível. Existem várias outras observações que se adequam a situações distintas, mas todas, com o mesmo propósito. E aí, você faz a sua parte?

 

Leia também esses conteúdos relacionados ao assunto:

Tudo o que você precisa saber sobre poços artesianos

O Guia Completo da Outorga do Uso de Água em Minas Gerais  

IGAM lança sistema de cadastro de usuários de recursos hídricos em Minas Gerais, o SISCAD

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit