Nosso Blog

Confira nossas novidades!

Veja outros Posts

Startup faz vapor virar água potável por Energia Solar

Startup faz vapor virar água potável por Energia Solar

Água limpa e acessível deve ser um direito de todos, mas sabemos que nem é sempre a realidade em países em desenvolvimento.

Temos muitos exemplos tanto no Brasil, como no resto da América Latina, em países da Europa ocidental e outros da África de pessoas que já não têm, ou nunca tiveram, acesso a água potável, e temos visto esforços coletivos de iniciativas privadas governos para contornar a situação.

O exemplo mais recente é a tecnologia criada pela startup Uravu, cuja base fica em Hyderabad, capital do estado de Telangana, na Índia.

O produto reúne dois problemas comuns em locais remotos: falta de água e energia.

Ele usa um material de absorção de água patenteado que suga o vapor do ar e usa energia térmica solar para convertê-lo em água. Para atingir tal finalidade, é utilizado em coletor solar batizado de "Aqua Painéis", capaz de acumular muito calor em uma pequena área.

A tecnologia não está 100% pronta, mas a estimativa é que, dentro de dois anos, o produto já esteja disponível.

Solução para Residências

A tecnologia não chega a ser nova, mas ainda apresenta complicações para fins domésticos. Até hoje, a solução foi usada somente pela indústria:

"É apenas um dispositivo passivo que você pode deixar no seu telhado e gerará água. O processo começa à noite e no dia seguinte você já tem água", garante Swapnil Shrivastav, co-fundador da Uravu.

Ele também destacou que é necessária alta umidade e há um alto consumo de energia envolvido.

Outra dificuldade que foi aprimorada, e pode-se dizer contornada, é a criação de um dispositivo modular simples, mas efetivo, já que é comum ter muitas partes móveis em produtos do tipo.

A grande vantagem é que, por não usar eletricidade em parte, a solução é também mais barata que os sistemas existentes baseados em refrigeração.

De onde surgiu a ideia?

A inspiração veio das constantes mudanças em níveis de umidade da atmosfera, o que levou Shrivastav a pensar o por quê deste recurso não ser utilizado:

"O vapor de água também não se limita à dessalinização, que acontece apenas na costa. Ou chuvas, que não acontecem em todos os lugares."

E ela pode ser ingerida sem problemas?

Da forma que a água é produzida, ela pode ser canalizada diretamente para uso em residências; no entanto, para obter-se água potável, é necessário utilizar um dispositivo suplementar, ou uma espécie de cartucho mineral acoplável.

Este protótipo gera cerca de 50 litros de água diretamente, mas a meta, no entanto, é alcaçar, futuramente, uma capacidade de produção de 2 mil litros por dia.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

© Ibracam

by nerit